| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

PARANÁ AMBIENTAL A Voz do Meio Ambiente
Desde: 05/09/2014      Publicadas: 25      Atualização: 05/07/2017

Capa |  Geral


 Geral

  18/09/2014
  0 comentário(s)


No setor de energia brasileiro não foi a água que sumiu foi o planejamento

Ainda não é a mudança climática a culpada pelos apagões. Ela virá, em algum momento no futuro, reduzir a capacidade de nossos reservatórios permanentemente e precisamos nos preparar para sermos menos dependentes das chuvas para termos eletricidade. O apagão, ao que tudo indica, foi causado por um problema físico em uma das linhas e, porque o sistema está sobrecarregado, ele se auto-desligou. É um mecanismo de autoproteção do próprio sistema.

No setor de energia brasileiro não foi a água que sumiu foi o planejamento


Ainda não é a mudança climática a culpada pelos apagões. Ela virá, em algum momento no futuro, reduzir a capacidade de nossos reservatórios permanentemente e precisamos nos preparar para sermos menos dependentes das chuvas para termos eletricidade. O apagão, ao que tudo indica, foi causado por um problema físico em uma das linhas e, porque o sistema está sobrecarregado, ele se auto-desligou. É um mecanismo de autoproteção do próprio sistema.

Agora, os reservatórios têm muitos problemas. Falta manutenção, muitos estão assoreados, vários são poluídos pelas águas dos rios de sua bacia, todos muito maltratados. Eles são usados em excesso todos os anos, o ano inteiro, por falta de alternativa. Devíamos manter estoques estratégicos de água nos reservatórios e usar mais eólica e solar. Mas, não, superutilizamos os reservatórios e fazemos menos eólica do que poderíamos fazer, nada fazemos em energia solar. Os reservatórios esvaziam não porque a chuva não os está enchendo, mas porque tiramos mais água deles do que entra.

O governo federal engavetou o programa de eficiência e economia de energia. Não criou condições para tornar realidade a geração distribuída, que permitiria a instalação de placas solares nas residências e prédios, que entregariam para o sistema a eletricidade excedente, aquela que não tivessem usado nos momentos de pico de geração. Faltam incentivos, os preços são altos, as distribuidoras não se interessam em promover a interligação das instalações residenciais e prediais ao sistema. Esta semana, em Nova York, conversei com um brasileiro que mora lá há mais de 20 anos. Ele tem um serviço de táxi especial. Recebeu uma proposta da companhia de eletricidade, para instalar placas solares de graça na casa dele, que fica em um subúrbio de Nova York. Ele pagará uma taxa anual básica, que fará com que sua conta de eletricidade seja reduzida em mais de 50%. Na Califórnia, o governo subsidiou a instalação de placas solares em residências e prédios comerciais. Hoje, várias cidades já estão com 100% das edificações dotadas de sistemas solares. O estado enfrenta a maior seca dos últimos 500 anos e não tem problema de energia.

Falta planejamento no setor elétrico. Este é um setor que sempre teve, historicamente grande capacidade de planejamento, já exportou bons planejadores para outras partes do governo no passado. Mas, hoje, não temos planejamento. O sistema tem cometido erros primários. Está comandado por razões políticas, por um ministro que não tem a menor qualificação para estar à frente de uma área tão sensível. O setor perdeu, sobretudo, capacidade de pensar o futuro contemporaneamente, para investir em um sistema mais inteligente, que lide melhor com a diversificação de fontes de energia e com programas efetivos de economia de energia e geração distribuída. Os erros de política se repetem. Não há gestão eficiente de reservatórios. O exemplo mais sério de erros primários de planejamento foi a construção de usinas eólicas, que estão operacionais, mas não entregam eletricidade ao sistema porque as linhas de distribuição não foram construídas. O que temos é um sistema que opera da mão para a boca, de crise em crise.

O resultado é que estamos vulneráveis a apagões. Pagamos um absurdo de subsídios para manter baixos os preços da energia, estimulando o consumo excessivo e o desperdício. Pagamos por eólicas que não podem entregar energia por faltas de linha. E pagamos o dobro pela energia de termelétricas que, além de poluir e aumentar o custo da energia para o tesouro, sujam nossa matriz elétrica e emitem gases estufa. Tudo errado. E a única solução que o pensamento torto que domina o sistema tem para oferecer é ampliar a usina de Belo Monte. Belo Monte é a falsa solução. Não funcionará adequadamente, entregará sempre muito menos Mw/hora reais do que pagamos para sua construção, baseada em ilusório potencial instalado. Amplia-la é dobrar o erro e aprofundar as contradições presentes no sistema elétrico, que podem leva-lo à ruptura geral. Tudo isso custa uma fortuna ao contribuinte. O que o governo tira no preço da eletricidade (da gasolina e do diesel também) devolve em maior proporção no gasto do Tesouro, nos impostos e na dívida que financiam esse gasto.

O sobreuso da eletricidade estressa um sistema que já opera no limite. Dependente de hidrelétricas, sem alternativas boas, ele está usando as termelétricas muito além do limite para o qual elas foram pensadas, dobrando o custo da eletricidade e aumentando os danos ambientais associados à energia suja. O governo " e muita gente do setor, por interesse particular " vive se gabando de que temos a "matriz mais limpa do mundo". Mas todos se esquecem de dizer que nessa "matriz mais limpa do mundo", o carvão, a fonte mais suja, tem aumentado significativamente sua participação, por decisão do governo. Aumentou 30% no último período. E o governo quer aumentar mais o uso do carvão. Estamos pensando o sistema olhando para o retrovisor. Os governos da Terceira República jamais suspeitaram do que as próximas décadas significarão para o campo da energia. Esse menos ainda.

Mas o governo dirá que não há problemas. No Brasil, em período eleitoral, a primeira vítima é sempre a verdade.







"
  Autor:   jmasp


  Mais notícias da seção Noticias Recentes no caderno Geral
05/07/2017 - Noticias Recentes - GA - Sistema de Gestão Ambiental
O SGA é uma solução informatizada que, dentre demais facilidades, permite aos usuários a requisição de licenças pela internet e consultas relacionadas ao processo....
08/10/2014 - Noticias Recentes - ECOtrônica Paraná: Projeto Inclusão Digital e Reciclagem Ambiental de Equipamentos de Informática
ONG ECOtronica ABRE INSCRIÇÕES PARA PROJETO APRENDIZ "MEU PRIMEIRO CURSO INCLUSÃO DIGITAL" PARA BELA VISTA DO PARAISO Requisitos» Estar estudando).»Faixa etária entre 12 e 16anos;»Disponibilidade para atuar no projeto de segunda a sexta, de 9h às 11h; e da 14 as 16h. Ambos os sexos;...
03/10/2014 - Noticias Recentes - PARANÁ AMBIENTAL INFORMA: Prazo para entrega do ADA 2014 é prorrogado
O Ibama comunica aos proprietários de imóveis rurais que, por motivos de ordem técnica e do intenso acesso ao sistema ocorrido nas últimas semanas do mês de setembro de 2014, bem como, em razão das exigências de recadastramento dos usuários dos serviços do Ibama no Cadastro Técnico Federal (CTF), a transmissão/recepção do formulário eletrônico do ...
18/09/2014 - Noticias Recentes - Proteger as florestas é produzir água
Uma das estratégias que estão sendo adotadas, é o Pagamento por Serviço Ambiental " PSA. Os programas de PSA partem do princípio de que a floresta nativa presta diversos serviços, tais como biodiversidade, estoque de carbono, proteção de nascentes, controle de erosão, regulação do regime de chuvas, etc., e os proprietários que protegem floresta nat...
18/09/2014 - Noticias Recentes - Inclusão da água entre direitos sociais poderá melhorar gestão de recursos hídricos
"Nós queremos a conscientização de que a água é um direito, de que existe escassez de água no mundo, de que nós precisamos preservá-la e, muito mais, de que todo gestor político deve saber gerenciar esse bem finito para que toda a população seja beneficiada por ela, porque água é sinônimo de vida", ...
13/09/2014 - Noticias Recentes - CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL - O respeito ao meio ambiente na rotina escolar
Projeto Biblioteca Móvel Ambiental contribui para ampliar e sensibilizar o conhecimento das crianças sobre a natureza de um jeito lúdico e divertido...
07/09/2014 - Noticias Recentes - Brasil debate política agroambiental
"O nosso desafio é fazer com que a América Latina que é uma região do planeta com grande potencial para produção de alimentos, e que pode ampliar essa produção, que faça isso com o cuidado ambiental necessário"...
06/09/2014 - Noticias Recentes - ALERTA: OS LENÇÓIS FREÁTICOS ESTÃO SENDO CONTAMINADOS
Pior do que a poluição que a gente vê é a poluição que a gente não vê. Assim a poluição dos lençóis freáticos é grave, aumenta dia-a-dia e começa a preocupar. Motivo: a despoluição de um lençól freático leva mais de 300 anos. ...
05/09/2014 - Noticias Recentes - Meio Ambiente registra poluição de manancial em Arapongas
o Rio Bandeirantes, cuja nascente se encontra em Arapongas e passa por diversos municípios da região voltou a ser foco das atenções por causa de poluição...
05/09/2014 - Noticias Recentes - Encontro nacional destaca resistência das pescadoras de Pontal e Matinhos
A experiência e resistência das comunidades pesqueiras de Pontal do Paraná e Matinhos servem de exemplo para a luta das pescadoras de todo o Brasil....
05/09/2014 - Noticias Recentes - Novas regras do trânsito de vegetais entram em consulta pública
Foi publicada no Diário Oficial dessa quarta-feira (03) a Portaria nº 322, que submete à consulta pública, pelo prazo de 30 dias, o Projeto de Instrução Normativa que disciplina a utilização da Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV)...
05/09/2014 - Noticias Recentes - Câmeras flagram antas em "passeio" na zona sul de Londrina
Animais foram encontrados fora do Parque Estadual Mata dos Godoy. Mapeamento do maior mamífero terrestre brasileiro é realizado pela Ong MAE...
05/09/2014 - Noticias Recentes - A Descida da Serra do Mar
A descida da Serra do Mar no Paraná é principalmente feita pela BR 277, em um percurso de cerca de 15 km. Outras opções pitorescas são o passeio de trem Curitiba-Paranaguá e a Estrada da Graciosa...
05/09/2014 - Noticias Recentes - Jardim Botânico de Londrina é aberto ao público População poderá visitar o local entre as quartas-feiras e domingos das 9h às 19h. Apesar de entregue, espaço ainda não está totalmente concluído
Com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios, o Jardim Botânico de Londrina foi criado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos " 70 hectares pelo Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) e de 20 hectares por parte da Associação Brasileira de SEMA, ...
05/09/2014 - Noticias Recentes - ICMS " ECOLÓGICO no Paraná
A Lei Complementar nº 59/91 dispõe sobre a repartição de 5% do ICMS, a que alude o art. 2º da Lei nº 9.491/90, aos municípios com mananciais de abastecimento e unidades de conservação ambiental, assim como adota outras providências. ...



Capa |  Geral
Busca em

  
25 Notícias


Meio Ambiente Rural
 

Meio Ambiente Rural

 

Até quando Brasil vai enterrar seus resíduos em lixões?